sexta-feira, 30 de março de 2012

Resumo do Capítulo VII d’Os Maias



Sumário dos acontecimentos mais importantes:
-Craft, um gentleman inglês, e também Dâmaso (protótipo do novo rico), tornam-se frequentadores do Ramalhete;
-Os Castro Gomes, que estavam no Porto, regressam a Lisboa e Carlos cruza-se no Aterro com a mulher cuja imagem ocupa permanentemente a sua mente;
-Ega ocupa-se com a organização de um baile de máscaras, na casa dos Cohens;
-A condessa Gouvarinho serve-se do pretexto de que o filho está doente, para poder aproximar-se de Carlos, visitando-o no seu consultório;
-Carlos sabe que a senhora Castro Gomes está em Sintra e convida Cruges para um passeio na vila, na esperança de poder rever a mulher dos seus sonhos.

A ação narrada no capítulo VII inicia-se no Ramalhete, com Afonso e Craft a jogarem uma partida de xadrez depois do almoço. Craft torna-se assim íntimo da casa dos Maias e, à sua semelhança, também Dâmaso começa a frequentar esta casa, seguindo Carlos para todo o lado e procurando imitá-lo.
Carlos, que tem poucos doentes, deixa de investir tanto no consultório e, face aos boatos lançados por médicos ‘rivais’ de que ele fazia horríveis experiências com os doentes, abandona um pouco a investigação no laboratório. Assim, dedica então os seus dias a escrever o seu livro.
Os Castro Gomes regressam a Lisboa, depois de uma ida ao Porto.
Ega, que anda ocupado com a organização de um baile de máscaras na casa dos Cohen, vai ao Ramalhete pedir dinheiro emprestado a Carlos, para pagar uma dívida que tem com Eusebiozinho. Os cinco convivas presentes acabam por pôr a conversa em dia e os que tencionam ir ao baile de máscaras decidem sobre se vão e como vão mascarados ao acontecimento na casa dos Cohen.
Dâmaso deixa de aparecer no Ramalhete por uns tempos e ninguém sabe dele.
 Carlos avista Maria Eduarda, num dia em que passeia pelo Aterro, na companhia de Steinbroken. Para Steinbroken, o Aterro estava particularmente monótono e triste naquele dia, mas, contrariamente, Carlos considerou-o lindo, puro e perfeito, depois de ter visto a sua musa. Numa segunda visita ao Aterro, Carlos vê novamente Maria Eduarda, acompanhada do marido. A partir dessa altura desloca-se várias vezes, durante a semana, ao Aterro, na esperança de ver novamente Maria Eduarda.
A condessa Gouvarinho, com a desculpa de que o filho se encontra doente, procura Carlos no consultório. Carlos examina o menino e percebe que este está bem de saúde, tendo apenas uma borbulhinha no pescoço. A visita ao consultório é, portanto, apenas um pretexto de madame Gouvarinho para se aproximar de Carlos e ter um romance com ele.
À saída do consultório, Carlos vê Dâmaso num coupé. Numa subtil alusão a Maria Eduarda, Dâmaso diz-lhe, de passagem, que anda a ter um romance com uma linda mulher.
Ao serão, no Ramalhete, joga-se dominó, ouve-se música e conversa-se. No meio da conversa, Carlos fica a saber que a mulher com quem Dâmaso diz ter por aí um romance é a Sra. Castro Gomes.
Carlos, indignado com a falta de fidelidade de Dâmaso, por este ter criticado e repugnado dias antes a família Castro Gomes, fica furioso. Este convida então Cruges a ir a Sintra no dia seguinte, pois tomara conhecimento, por intermédio de Taveira, que Maria Eduarda aí se encontrava na companhia de seu marido e de Dâmaso.

Previsões para os próximos episódios:
-Afigura-se que o baile de máscaras vai ser um acontecimento social importante, badalado na imprensa da época;
-Prevê-se um romance entre Carlos e a madame Gouvarinho;
-Em relação a Maria Eduarda, aconselha-se a leitura dos próximos capítulos, para se desvendar se Carlos vai realmente conseguir cruzar-se com ela…

Autoras: Catarina Rodrigues, nº 7, e Maria Inês, nº 17, 11º L3

7 comentários: